• ABERTURA DE EMPRESAS

    Abertura e legalização de novos negócios. Procure sempre um profissional contábil...

  • PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

    Dispositivos legais, fiscais e tributários, inteligência fiscal, análise e controle da carga tributária...

  • POLÍTICAS EMPRESARIAIS

    Diagnóstico empresarial, fluxo operacional, potêncial econômico, alinhamento de processos, planejamento estratégico...

  • TREINAMENTOS

    Educação contábil, fiscal e tributária, orientação financeira, análise de custos e demais treinamentos (in company) para seus colaboradores...

  • DESTAQUE-SE

    Conte sempre com a PAUTA para assessorar seu negócio...

Licenciamento sanitário para MEI será uniformizado



Sebrae, Secretaria da Micro e Pequena Empresa e Anvisa assinam acordo para implementar padronização de procedimentos para concessão de alvará

O Sebrae, a Secretaria da Micro e Pequena Empresa e a Anvisa vão trabalhar juntos para agilizar e desburocratizar o processo de concessão de alvará sanitário para os microempreendedores individuais (MEI) e agricultores familiares. Para isso, assinaram um acordo técnico durante o seminário Brasil Mais Simples – Agenda 2014, que segue até esta sexta-feira, em Brasília.

O acordo prevê a realização de ações conjuntas para a implementação em todo o Brasil da Resolução nº 49 de 2013, da Anvisa, que entra em vigor no próximo dia 30 e que simplifica e uniformiza os padrões de concessão de licenciamento sanitário. “A simplificação no Brasil exige muito empenho e as parcerias e debates são necessários para avançarmos cada vez mais. Nós do Sebrae sabemos que esse trabalho exige muito diálogo”, destacou o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, que também frisou que as atividades de baixo risco devem ter procedimentos menos burocratizados.

O ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, ressaltou que o trabalho de racionalização da concessão de alvará já está sendo feito com o Corpo de Bombeiros em todo o país e que a parceria com a Anvisa e Sebrae é mais um passo para desburocratizar a abertura de empresas no Brasil. “Precisamos ter em mente que 90% das empresas brasileiras são de baixo risco. A concessão de alvará automática desafoga o trabalho dos órgãos fiscalizadores, disse o ministro.

A resolução nº 49 prevê que as vigilâncias sanitárias estaduais e municipais tenham um critério único para a concessão de alvará para a produção e comercialização de produtos e serviços oferecidos pelos microempreendedores individuais, agricultores familiares e trabalhadores da economia solidária. O decreto irá agilizar e uniformizar o processo de autorização de funcionamento de pequenos negócios. A fiscalização da vigilância sanitária terá natureza prioritariamente orientadora e facilitará a entrada dos empreendedores no mercado formal com produtos e serviços que não ofereçam risco à saúde.

Além da uniformização de procedimentos, a resolução prevê isenção da taxa de vigilância sanitária quando essas empresas estiverem em categorias que não exijam vistoria prévia, a disponibilização de orientações e capacitações para empreendedores e fiscais das vigilâncias sanitárias e transparência nos procedimentos de regularização.

Fonte: SEBRAE | 10.04.2014

Leia mais+

Os principais tributos que todo empreendedor precisa conhecer



Fazer uma boa administração tributária desde o começo pode fazer toda a diferença no sucesso do seu negócio
         
Não é incomum ouvir dizer que o Brasil é o “país dos impostos”, mas é importante ter claro que essa é uma parte do desafio que você tomou pra si quando decidiu abrir o seu negócio. Uma empresa com problemas fiscais pode ter muitas dificuldades, como para a entrada de um sócio estratégico, para receber recursos de entidades como o BNDES ou instituições financeiras de primeira linha e até mesmo impedir a venda ou fechamento da empresa.

Assim, começar certo desde o início facilita muito as coisas para você quando o seu negócio entra em fase de crescimento. Por isso, é preciso planejar a melhor maneira de se navegar nesse “mundo tributário” de maneira alinhada aos objetivos da sua empresa.

Eduardo Borges descreve neste artigo: “Antes de abrir sua empresa, o empreendedor deve considerar, na formação dos preços e na projeção da margem de lucro, especialmente, o peso dos tributos incidentes sobre:

(i) as receitas de venda de produtos e serviços (IPI, ICMS, ISS, PIS/COFINS e contribuições previdenciárias),
(ii) as importações de bens, serviços e tecnologia (Imposto de Importação, IPI, PIS/COFINS, CIDE, ICMS e ISS),
(iii) a folha de salários (contribuições previdenciárias),
(iv) o patrimônio (ITR, IPTU e IPVA),
(v) o exercício de certas atividades reguladas (ex: taxa da Anatel, FUST, FUNTEL) e, finalmente,
(vi) o lucro (IRPJ e CSL).

A incidência desses tributos varia em função do setor de atuação e do porte da empresa.” Esses tributos também podem ser classificados conforme os níveis de governo que os recolhem. Para facilitar, detalhamos abaixo alguns dos principais tributos sobre empresas do país:

Principais tributos federais

IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica): como foi dito, incide sobre o lucro da empresa, com uma alíquota de 15%, mais um adicional de 10% sobre a parcela do lucro que exceder o montante mensal estipulado. O IRPJ é retido pelos clientes no momento do pagamento das faturas.

CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido): assim como o IRPJ, incide sobre o lucro real do negócio, com alíquota de 9%.

COFINS (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social) e PIS (Programa de Integração Social) /PASEP (Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público): são contribuições que incidem sobre a receita bruta da empresa, em geral, com alíquota combinada de 3,65% (3% de COFINS e 0,65% de PIS/PASEP). Assim como o IRPJ, o PIS/COFINS também é retido pelos clientes no momento do pagamento das faturas.

IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados): é um imposto sobre produtos industrializados, que são tributados no momento em que saem da fábrica. As alíquotas variam bastante por produto e, em média, ficam entre 10% e 12%.

Principal tributo estadual

ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços): é parecido com o IPI, mas que pode incidir também sobre alguns serviços. Varia bastante por tipo de produto ou serviço. Dica: consulte a Secretaria da Fazenda do seu Estado para saber qual é a alíquota que incide sobre ICMS do seu produto ou serviço. Fique atento, pois o ICMS é recolhido antecipadamente pelos seus fornecedores, por isso é pago por substituição tributária.

Principal tributo municipal

ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza): incide sobre prestação dos serviços listados na Lei Complementar nº116/03. A alíquota em média varia entre 2% e 5%. Segundo Eduardo Borges, “alguns municípios cobram o ISS com base no regime de caixa (à medida do recebimento da receita); outros, sob o regime de competência (à medida da realização do faturamento). Na maioria dos casos, o ISS é devido ao município em que estiver efetivamente situado o estabelecimento prestador. Entretanto, em relação a determinados tipos de serviço, o ISS será devido ao município em que for prestado, a exemplo dos serviços de construção, limpeza, varrição etc.”.

Não esqueça que pegar certos atalhos pode parecer benéfico, mas que, na verdade, pode ser um tiro no pé.

Os impostos não recolhidos hoje podem impedir o crescimento da empresa no futuro. Para se tornar um empreendedor de alto impacto, é necessário seguir as regras. Recolher corretamente os tributos é apenas uma delas. Esteja preparado para fazer uma boa administração tributária.

Por Endeavor Brasil

Fonte: Administradores

Leia mais+

E-mails corporativos simpáticos e educados


Enviar mensagens profissionais requer cuidados para não parecer grosseiro Embora o e-mail seja hoje um dos meios de comunicação mais rápidos e eficientes no mundo dos negócios, os profissionais ainda cometem gafes...


Enviar mensagens profissionais requer cuidados para não parecer grosseiro
Embora o e-mail seja hoje um dos meios de comunicação mais rápidos e eficientes no mundo dos negócios, os profissionais ainda cometem gafes. Muitas vezes, na tentativa de parecer sério ou conciso, o remetente passa uma imagem de grosseiro, autoritário. Para não correr esse risco, confira dicas que vão ajudá-lo a montar um e-mail profissional inteligente, simpático e objetivo. 

Assunto
Sempre preencha o campo de assunto. De preferência, escolha um título que diga alguma coisa para o seu leitor. Não tente usar artifícios como "urgente". Procure um assunto conciso que diga sobre é o e-mail. 

Ponto principal 
Aborde o tema principal do e-mail logo na frase de abertura, mas traga para esta abertura palavras como bom dia, boa tarde, por favor, peço seu apoio. Dificilmente um leitor vai chegar até o final para descobrir do que se trata e ele ficará ainda mais nervoso se tiver que fazer isso após começar a ler um e-mail mal educado. 

Letras maiúsculas
A não ser que sua intenção seja parecer rude com o seu leitor, jamais envie um e-mail escrito em letras maiúsculas. Isso dá a impressão de que você está gritando com ele, o que não vai convencê-lo a fazer o que você precisa. 

Linguagem
Evite usar linguagem informal demais, gírias e abreviações. Em muitos casos esse tipo de linguagem pode ser conhecido por você, mas não pelo seu leitor. Isso vai causar um ruído na comunicação e dificultar as negociações entre vocês. Seja breve e educado.

E-mails grandes
Se sua mensagem passar de dois ou três parágrafos curtos, considere a ideia de reduzir o e-mail ou enviar o assunto todo em um documento anexo. 

Palavras mágicas 
Diga por favor  e obrigado naturalmente. Queira realmente dizer isso porque é possível perceber, mesmo via e-mail, quando você faz uso dessas palavras de forma irônica.

Edição
Não envie um e-mail sem antes reler o que escreveu. Você pode deixar passar um erro ou outro pensando que isso é normal, já que você é uma pessoa muito ocupada. Mas o seu leitor não sabe disso. Provavelmente, ele vai pensar que você é desleixado e não dá atenção para os negócios. 

Responda imediatamente
Não importa sobre o que seja, dê um retorno para o seu leitor. Se você precisa de mais tempo para coletar informações ou desenvolver um projeto, envie um e-mail explicando isso a ele.  

Assinatura
Providencie uma assinatura com o seu nome completo e as suas informações para contato. Isso inclui o endereço do local de trabalho, o seu telefone e ramal.

Fonte: CRC SP

Leia mais+

5 dicas para criar um ambiente de trabalho agradável

O que importa é dar à equipe aquilo que ela realmente espera.

Escritórios bonitos e altos salários são relevantes quando se fala da satisfação dos trabalhadores. Mas o que realmente importa para um bom local de trabalho é que ele seja um ambiente onde as pessoas se sentem desafiadas, satisfeitas e valorizadas.

Enquanto o senso-comum pode imaginar que algo que agrade seja um lugar cheio de aparatos tecnológicos, sala de jogos, ambiente para relaxar etc., quelas onde o trabalhador mais se sente confortável não tem a ver com o custo. O que realmente importa é dar aos trabalhadores aquilo que eles querem em um bom ambiente de trabalho.

Em um artigo para a Fast Company, a escritora Allyson Willoughby elencou 5 regras para manter um ambiente de trabalho agradável:

1 - As pessoas são importantes
Chefes sabem que ter pessoas capazes ao seu lado atrai mais pessoas capazes. Então, eles focam em altos padrões para a contratação, para ter trabalhadores capacitados, e ao mostrar gratidão aos atuais empregados, os mantêm felizes e motivados a ficar.

Segundo Allyson, “no momento em que um candidato interage com sua companhia e sua marca, é uma oportunidade de mostrar do que sua empresa é feita. Criar claras expectativas de experiências, talentos e deveres para ser bem sucedido dentro da sua companhia trará dois benefícios principais. Primeiro, ajuda sua empresa a recrutar melhor pessoas que se encaixam nas vagas disponíveis e, segundo, ajuda a melhorar um ambiente de trabalho em que os membros serão mais inclinados a respeitar uns aos outros”.

Willoughby complementa dizendo que “quando seus atuais empregados estão satisfeitos, as notícias de que o ambiente de trabalho de sua empresa é um lugar a que gostam de ir irão se espalhar, o que ajuda a atrair ainda mais profissionais de qualidade. Na verdade, pesquisas mostram que 96% das pessoas à procura de emprego procuram saber o que dizem os atuais empregados das companhias, antes de aceitarem a oferta”.

2 – Trabalhadores querem fazer parte
Líderes de sucesso escutam seus liderados. Isso significa procurar oportunidades de perguntar, de forma informal, ideias ou pensamentos, e isso deve incluir também oportunidades formais para conseguir informações de seus empregados, como “entrevistas para ficar”, como diz Allyson, ou encorajá-los a postar seus pensamentos sobre o local de trabalho em um ambiente interno da empresa. “É importante que as pessoas sintam que fazem parte das decisões que a empresa toma, e ter sua voz ouvida durante as discussões e conversas é um grande fator para a satisfação do empregado”, diz ela.

3 – Ajude-os a crescer
Não só fazer seus colaboradores se sentirem valorizados e escutados, o trabalho de um bom chefe é oferecer oportunidades para avanços na carreira e treinamentos de capacitação. “A maioria das pessoas não quer permanecer estagnada, fazendo a mesma coisa por anos e anos. Na verdade, depois do salário, o segundo motivo mais comum para a aceitação de um novo emprego é a quantidade de ofertas de crescimento nas oportunidades oferecidas”, diz Allyson.

4 – Líderes são fortes
Os melhores profissionais têm líderes em lugares acessíveis para todos e estes lideram com clareza e focados no crescimento. “A natureza da liderança envolve tomar decisões difíceis, e os líderes das maiores empresas ganham o respeito dos liderados tomando as decisões corretas, mesmo se não forem escolhas populares”, diz Allyson.

5 – Valorize a equipe
Utilizar políticas amigáveis aos colaboradores da empresa os faz sentirem-se apreciados. “Enquanto coisas como academia, almoços grátis e viagens grátis podem ser efetivas, trabalhadores se sentem igualmente valorizados por benefícios menos luxuosos, como a oportunidade de se comunicar ou ter novas responsabilidades”, escreve Allyson. “Até um simples ‘obrigado’ é uma forma efetiva para qualquer empresa”, completa.

Agora com um caminho mais claro para transformar empresas chatas em ótimos ambientes de trabalho, considere o seguinte: Você está colocando pessoas como prioridade, ouvindo, ajudando-as e liderando com uma visão clara? Você as está valorizando? Perguntar a si mesmo e à sua equipe essas coisas é o primeiro passo para se tornar um líder de sucesso e melhorar o nome de sua companhia.

Fonte: Administradores

Leia mais+